Dica da semana: literatura

A dica desta semana é sobre um assunto que eu amo demais: ler! Aprendi desde pequena que a leitura leva a gente para diversos mundos, fantasias e sonhos. Portanto, vim compartilhar alguns livros que marcaram a minha vida e que eu recomendo à todos!

 

Alice no País das Maravilhas e Alice no País do Espelho (Lewis Carroll): Eu já li duas vezes o primeiro livro (No País das Maravilhas) e acho ele, simplesmente fantástico. Bom, a história todo mundo sabe: a menina que cai no buraco e vive momentos mágicos lá dentro. Mas o que eu gosto mais neste livro são as lições que a gente aprende com Alice. Gosto da fantasia em que ela vive, da coragem de experimentar novas coisas na vida, da entrega dela àquele mundo, enfim, gosto dela de um modo geral. Têm duas frases que ela fala que eu sempre repito: “Se eu tivesse um mundo só meu, nada teria sentido”, e “Acredito em seis coisas impossíveis antes do café da manhã”. Recomendo esta leitura à todos!

 

Lolita (Vladimir Nabokov): Depois da Alice, Lolita é minha “heroína” favorita (se é que dá para chamá-la assim, né?). O livro conta a história da paixão – e obsessão! – do professor Humbert Humbert pela menina de 12 anos, Dolores, a qual ele chama carinhosamente de Lolita. Lembro que quando li pela primeira vez o livro, eu achei estranha aquela relação dos dois, mas com o passar do tempo, eu achei bem bonita (não tudo, tá gente?). Ele começa o livro com a seguinte frase linda: “Lolita, luz de minha vida, labareda em minha carne”. A partir dai, ele já me ganhou. Enfim, no decorrer do livro, acontecem muitas coisas, quanto à mãe da menina, quanto ao envolvimento dos dois, que eu não vou contar senão perde a graça! Depois de ler o livro, eu assisti o filme. Achei bem feito até, mas claro, o livro conta bem mais (e melhor) a história deles. Tem que ler!

 

O animal agonizante (Philip Roth):Conheci este livro depois que assisti o filme “Fatal (Elegy)”, com a linda Penélope Cruz e o talentoso Ben Kingsley. O livro conta a história do professor sessentão (e que pega todas alunas!), David Kepesh e da paixão dele pela aluna Consuela Castillo, de 24 anos. David Kepesh sempre foi um cafajeste. Dormiu com metade das suas jovens alunas e nunca quis nada sério com nenhuma delas. Mas tudo muda quando ele encontra Consuela. Ela é diferente de todas (nas próprias palavras dele). Consuela é linda, porém insegura. No decorrer do tempo, ele acaba se apaixonando por ela, tendo ciúmes dela, coisa que ele nunca teve antes! Lembro dele dizendo: “Eu me sinto ansioso ao menos em falar com ela todos os dias ao telefone. E eu me sentia ansioso depois de ter falado”. Comparações grotescas à parte, eu sempre lembro da Lolita neste filme. Hehehe! Uma frase do David que vocês vão gostar: “Mulheres bonitas são invisíveis e nunca vemos a pessoa, porque somos bloqueados pela barreira da beleza. Ficamos tão deslumbrados pelo exterior que não enxergamos o interior”. Verdade, né?

 

 

Carta ao pai (Franz Kafka): É um livro que me emociona sempre que leio. Carta ao pai é completamente autobiográfico. Ele conta a relação perturbadora de Kafka com seu pai. O pai dele era um homem controlador, não dava apoio para o filho, amedrontava ele (e o autor nunca demonstrou isso) com suas palavras e olhares de reprovação e, acima de tudo, não era um pai que gostava de ter uma relação de amizade com o filho. Talvez porque não soubesse ter ou não tivesse sido ensinado isso. O pai de Kafka não aceitava e não deixa que ele fizesse as coisas, não o deixava viver, experimentar a vida. Para ele, seu filho tinha que ser como ele queria, viver como ele queria. Sempre com superproteção, controle, não deixando escapar nada. Este é um livro que me dá tristeza. Tristeza pelas consequencias que esta autoridade causou em Kafka. Ele se tornou um homem fraco, dependente, medroso e triste! Destas características, a tristeza dele é a pior coisa pra mim. Enfim, só lendo para vocês entenderem…

 

 

Cartas a Théo (Vincent Van Gogh): Quem me conhece sabe da minha paixão e loucura por arte e, principalmente, por Van Gogh. Sério, gente, eu sou louca por ele. Vocês não tem noção! Hehehe! Basicamente, este livro é um apanhado das cartas que o pintor mandava ao seu irmão, contando dos dias dele, dos pensamentos, inseguranças, amores, amigos, etc. Não sei se muita gente vai gostar, mas se eu fosse você eu leria! Hehehehee!

 

 

Bom, estas foram algumas dicas! Daqui alguns dias, eu posto mais!

 

Beijos e boa leitura!

Nathy

 

Anúncios

Publicado em 4 de fevereiro de 2012, em Preciso Compartilhar e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Nathy AMEI estas dicas!! Sou super rata de livro também, e fiquei louca para ler estes livros!! Assim que este semestre acabar, e eu tiver mais livre, ou seja, sem ter que fazer uma monografia, já tenho leitura certa!! O blog tá lindo! Parabéns, muito orgulho disso!! Beijos!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: